Primeiro cabo de fibra ótica interligando o Brasil e a África chega no país

cabo de fibra ótica
Source: PeakOptical

Recentemente, o primeiro cabo submarino responsável por conectar o Brasil ao continente africano, através do Atlântico Sul, chegou na cidade de Fortaleza. O sistema de cabos de fibra ótica utilizado nesse projeto, chamado de South Atlantic Cable System (SACS), possui cerca de 6,3 mil quilômetros de extensão e irá permitir uma transferência de dados mais eficiente e rápida entre as duas regiões, melhorando o atual sistema de comunicação entre o Brasil e a África.

De acordo com Antônio Nunes, um dos empresários envolvidos no projeto, essa estrutura de cabos é importante pois através dela será criada uma rota alternativa as que já existem atualmente na área da comunicação. Agora, será possível estabelecer uma conexão de alta qualidade de forma direta entre os dois continentes, sem que os dados tenham que passar antes pela Europa ou América do Norte.

Essa tecnologia poderá elevar Fortaleza ao status de centro internacional em termos de comunicação e estimular os negócios na cidade. Além disso, a conexão mais veloz e interligada com outras partes do mundo também pode melhorar as experiências na área do entretenimento, como jogar jogos de cassino online, por exemplo.

Conheça mais detalhes sobre a instalação

Liderado pela empresa Angola Cables, o projeto de instalação do cabo submarino teve início na cidade de Luanda, capital de Angola, que é onde foi instalado o ponto de conexão dos cabos no continente africano. Com um orçamento de centenas de milhões de dólares, esse foi considerado um processo bastante complexo e minucioso, especialmente durante a etapa de escaneamento do solo marítimo.

Essa é a etapa mais importante pois é através do escaneamento do solo que foi possível determinar qual era o revestimento mais apropriado para os cabos, levando em consideração as características específicas dessa faixa do oceano. Ao todo, foi necessário mais de dois meses e uma equipe com cerca de 50 profissionais especializados na técnica de escaneamento para que a etapa fosse concluída com sucesso.

Após essas informações serem definidas, as mesmas foram repassadas para a empresa escolhida para fornecer os cabos, a japonesa NEC Corporation, e também auxiliaram na definição de qual seria a potência ideal para os repetidores de sinal adotados.

A atuação da Angola Cables

Criada no ano de 2009, a Angola Cables rapidamente se estabeleceu como uma das grandes multinacionais do ramo de telecomunicações do continente africano. Atualmente, o foco da empresa é atuar no segmento de comercialização de circuitos internacionais de dados por cabos submarinos feitos de fibra ótica.

Além de ser uma das principais acionistas da WACS (West Africa Cable System), a Angola Cables oferece os seus serviços em toda a região da África subsaariana, sendo uma referência no fornecimento de IP no continente. A iniciativa de interligar as cidades de Luanda e Fortaleza se destaca como um dos projetos mais desafiadores da empresa até o momento.

Segundo um comunicado oficial da companhia, essa iniciativa surgiu especialmente do intuito de fortalecer a rede de informações entre o hemisfério Sul e também reduzir o intervalo de latência das redes entre as duas regiões, o qual era de aproximadamente 350 milissegundos e agora é de 63 milissegundos.