Países Empreendedores: Os Oceanos são a Próxima Fronteira?

A versão de um artista de um prédio em uma cidade flutuante.

Embora seja mais provável que você tenha ouvido falar de SpaceX ao invés de Seasteading, talvez esse não deveria ser o caso. O termo seasteading remonta a, pelo menos, 1981, quando Ken Neumeyer usou-o em seu livro intitulado Sailing the Farm (Navegando a Fazenda, em tradução livre). Como você pode imaginar, ele se refere à ideia de criar uma cidade, ou um tipo de moradia, no mar.

Avance 2 décadas, e Milton Friedman’s, neto de Patri Friedman, fica tão intrigado com a ideia que ele sai de seu trabalho no Google para ajudar a fundar o Seasteading Institute. Seu sócio e fornecedor do capital inicial não era ninguém menos que o fundador do PayPal, Peter Thiel que, em 2009, escreveu um artigo no qual ele observou que “entre o ciberespaço e o espaço sideral existe a possibilidade de colonizar os oceanos”.

Ávido defensor da ideia de cidades nos oceanos, o autor americano Joe Quirk juntou-se ao Seasteading Institute em 2011, e agora é seu presidente.  Para ele, a ideia de cidades independentes ou, como ele as chama, “países empreendedores”, tinha como objetivo criar sociedades diversificadas, para tipos diferentes de pessoas, e viver sem o controle do governo. A ideia toda pode parecer absurda em várias maneiras, e quase beirando a ficção científica, mas, como enfrentamos o horror das mudanças climáticas, talvez ir para o mar seja nossa melhor solução.

Muitos pensadores proeminentes parecem concordar que os oceanos podem ser nossa melhor aposta; como o próprio Quirk diz, “Nós estaremos vivendo nos oceanos muito antes de vivermos em Marte”. Entretanto, outras pessoas veem problemas de vários tipos no projeto. O próprio Thiel, apesar de ter investido 1,7 milhão de dólares de seu próprio dinheiro, saiu do projeto e diz, em termos de engenharia, que ele ainda está muito distante.

Um Projeto Piloto Está em Andamento

O Seasteading Institute originalmente tinha visões de criar sua primeira metrópole flutuante por volta de 2050, mas graças a um próspero relacionamento com a Polinésia Francesa, isso deve acontecer muito antes. Um empreendimento piloto que poderia abrigar até 300 pessoas tem uma data de finalização esperada para 2020. Chamadas de Projeto da Ilha Flutuante, as estruturas serão criadas nas águas de um lago perto do Taiti.

Uma vez que a elevação dos níveis dos mares é uma grande ameaça à população da República da França, eles estão muito dispostos a experimentar a ideia do Seasteading. Uma nova empresa, chamada Blue Frontiers, foi criada para construir e operar as ilhas, e você pode ler sobre todo o empreendimento no  website do Seasteading Institute.

O Ideal Utópico da Cidade Flutuante

A liberdade de autogoverno em uma comunidade contida é, claramente, muito prezada por Quirk, Friedman e pelo resto daqueles envolvidos com o Seasteading Institute. Se tudo ocorrer conforme o plano, essas ilhas serão capazes de produzir sua própria comida, fazer sua própria energia limpa e vender o excesso a outras nações, bem como desenvolver vários tipos diferentes de tecnologias, tudo ao mesmo tempo em que livra a humanidade dos políticos. Os primeiros moradores teriam um elevado status socioeconômico, mas se o projeto se mostrar bem sucedido, habitações de custo mais baixo serão inseridas.

Problemas que Poderiam Contribuir para uma Realidade Distópica

Problemas que poderiam levar ao fracasso das futuras habitações marítimas incluem desenvolver bases para as ilhas que suportem a exposição ao mar por períodos de 100 anos, bem como a forma pela qual seriam administradas. Particularmente, como essas comunidades autônomas lidariam com os crimes, e quais seriam suas obrigações em relação ao ambiente? Em relação ao Projeto da Ilha Flutuante, uma espécie de compromisso foi feita e as leis da França e da Polinésia Francesa serão obedecidas, mas esse não é o ideal futuro do Seasteading institute. Como isso será determinado?

Além disso, sendo muito importante, qual a moeda que essas metrópoles independentes usarão? E se as pessoas das ilhas quiserem conduzir transações em cassinos online, ou em qualquer outro lugar da internet? A solução pode ser criptomoedas; de fato, os fundos para as outras ilhas que a Blue Frontiers está planejando serão arrecadados usando uma oferta inicial de moeda, que não é regulamentada e usa criptomoedas. A ideia geral dessas moedas virtuais é separá-las de um governo regulatório central, afinal.

Seria possível usar criptomoedas diferentes nas centenas de cidades insulares que Quirk tem em mente? Como ficaria a economia global se esse fosse o caso, e o quão fácil seria cometer fraude cibernética? De certa forma, nós só conseguiremos saber as respostas a essas perguntas conforme vermos a ideia das habitações marítimas serem postas em prática. Dado o estado do meio ambiente no mundo e a elevação dos níveis dos mares, talvez o risco valha a pena, desde que todos abordem essa nova forma de vida com respeito e tolerância.

Fonte:

http://www.ladbible.com/news/news-paypal-founder-peter-thiel-funding-worlds-first-floating-city-20171114

http://www.independent.co.uk/news/science/floating-city-french-polynesia-2020-coast-islands-south-pacific-ocean-peter-thiel-seasteading-a8053836.html

http://www.businessinsider.com/floating-city-plans-seasteading-institute-peter-thiel-blue-frontiers-2017-12/#if-the-institute-manages-to-gain-government-approval-and-make-its-floating-city-a-reality-quirk-said-that-the-team-would-expand-the-project-to-include-affordable-housing-the-first-homes-would-be-for-luxury-buyers-14

http://www.businessinsider.com/peter-thiel-seastead-dream-floating-city-2017-1

https://www.nytimes.com/2017/11/13/business/dealbook/seasteading-floating-cities.html