Os escândalos do Facebook estão se acumulando — mas será que importa?

Os usuários não ligam para os crescentes escândalos do Facebook
Fonte: Pixabay

Houve um tempo em que não ter uma conta no Facebook causaria estranheza nos outros. Todo mundo tinha uma conta no Facebook, e esperava-se que todo mundo tivesse. Afinal, era o Facebook, e amigos e parentes tinham prazer em compartilhar uns com os outros, cutucar uns aos outros e curtir tudo que era publicado. Por muito tempo, todos estavam simplesmente fascinados com essa nova forma de mídia social.

É provável que o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, sinta saudade daquela época. Os tempos mudaram, e este não é o momento mais fácil para a megacorporação. Parece que o Facebook está prestes a se afogar em controvérsias cada vez maiores, com um número crescente de usuários ficando irritados e excluindo suas contas.

Naturalmente, muitos diriam que é justificável que o Facebook esteja sendo muito criticado, em vista da natureza dos escândalos. Mas por que só agora as pessoas parecem ter percebido que o Facebook pode não ser bom?

Alguns dos escândalos

Atualmente, sucessivos escândalos do Facebook estão chamando bastante atenção. Em 2016, espalharam-se boatos de que políticos russos estavam usando o Facebook para espalhar notícias falsas ou tendenciosas, muitas delas especificamente destinadas a mudar o foco para Donald Trump.

O escândalo principal, e o que realmente deixou os usuários mais indignados, é a situação envolvendo a empresa Cambridge Analytica, com sede no Reino Unido. Alega-se que ela tenha roubado informações privadas de cerca de 70 milhões de usuários do Facebook e, usando essas informações, tenha bombardeado os usuários com propaganda política personalizada, aparentemente para beneficiar os políticos em campanhas recentes.

O curioso é que, ao que tudo indica, o Facebook sabia sobre a violação de segurança e, mesmo assim, continuou os negócios com a Cambridge Analytica por um mês inteiro.

Depois desse escândalo, o Facebook decidiu permitir que os usuários baixassem seus arquivos pessoais, armazenados nos servidores do Facebook. Foi uma tentativa de pacificar os usuários, mas saiu pela culatra da pior forma possível. Ao acessar seus arquivos, muitos usuários ficaram estarrecidos ao ver que o Facebook havia guardado vídeos e mensagens que os usuários tinham excluído, bem como uma grande quantidade de outras informações supostamente excluídas ou privadas.

Os dados de milhões de usuários do Facebook foram vazados
Fonte: Pixabay

Uma enxurrada de escândalos

O Facebook conseguiu escapar de grandes controvérsias desde o início. Na verdade, ele tem saído quase misteriosamente livre de escândalos. Quase sempre se ouviram boatos, de várias fontes, de seu potencial abuso de informações privadas, mas essas vozes sempre foram minoritárias. Mas agora, com um escândalo dessa magnitude, essas vozes estão ficando mais altas. E com Zuckerberg admitindo que a gigante da mídia social até mesmo analisa suas mensagens, fica claro que o que você faz on-line não é privado.

No entanto, essa não é a primeira vez que uma grande empresa sente o peso de vários escândalos, e não será a última. No geral, o Facebook sofreu uma perda no valor das ações, mas foi relativamente pequena, já que o valor de suas ações tem subido de forma vertiginosa.

Além disso, apesar de várias campanhas públicas incentivando os usuários a excluir suas contas, ainda não ocorreu um êxodo em massa significativo da plataforma de mídia social. Ao que parece, os escândalos mostraram como o mundo se acostumou com o Facebook, e o quanto somos dependentes dele.

As pessoas sabem que o Facebook usa suas informações

A maioria dos usuários está ciente de que o Facebook coleta e extrai suas informações, que são usadas para criar software de publicidade direcionada. As pessoas concordam com isso ao se inscreverem. E parece que essa mesma maioria não se importa que a gigante da mídia social saiba o que eles fazem on-line, seja jogando Blackjack on-line, vendo fotos de gatos, seja perseguindo ex-namorados. Afinal, como o Facebook tem bilhões de usuários, as informações de uma única pessoa não passam de uma gota no oceano.

Alguns podem ter excluído seus perfis após o escândalo, mas a onda de desertores que alguns esperavam simplesmente não ocorreu. Vivemos na era da internet, e do compartilhamento de informações, e as pessoas já se acostumaram com isso. E o Facebook faz muito mais parte da vida das pessoas do que o contrário. Aceitar isso — incluindo os escândalos — é algo que tem tudo para continuar.

Sources: